sábado, 20 de novembro de 2021

Lições da História do Primeiro Rei de Israel

 

Introdução 

"O inteligente aprende com os próprios erros; o sábio aprende com os erros dos outros"
 Dito popular

"A prova máxima de nossa obediência aos ensinos de Cristo é a nossa consciência de fracasso em alcançar uma obediência perfeita. O grau de nossa aproximação não pode ser visto, só podemos ver o quanto estamos distantes"
Leão Tolstói

Porque as Sagradas Escrituras não omite as falhas e pecados de ninguém, nem ao menos dos heróis da Fé ?

• Um erro constante em muitos cristãos é a auto-comparação. E foi esse erro que o Senhor tratou na parábola do "fariseu e o publicano" (Lc. 18.9-14)
Muitas vezes lemos a Bíblia com essa mentalidade, e caímos no mesmo erro do fariseu da parábola.
Voltando à pergunta inicial, as falhas e pecados estão aí para nos ensinar. Devemos olhar para elas...
• Não para fazer julgamentos.
• Nem para pensarmos, equivocadamente, "Olhem evoluímos!", mas para tirar lições para nossa vida, e é isso que faremos aqui, com lições da vida do 1º rei de Israel. Saul

1- Decisões Impensadas
1Sm.13.8-12
8 Esperou Saul sete dias, segundo o prazo determinado por Samuel; não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo se foi espalhando dali.
9 Então, disse Saul: Trazei-me aqui o holocausto e ofertas pacíficas. E ofereceu o holocausto.
10 Mal acabara ele de oferecer o holocausto, eis que chega Samuel; Saul lhe saiu ao encontro, para o saudar.
11 Samuel perguntou: Que fizeste? Respondeu Saul: Vendo que o povo se ia espalhando daqui, e que tu não vinhas nos dias aprazados, e que os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás,
12 eu disse comigo: Agora, descerão os filisteus contra mim a Gilgal, e ainda não obtive a benevolência do Senhor; e, forçado pelas circunstâncias, ofereci holocaustos.

Segundo o escritor Max Lucado, algumas doenças modernas são causadas pela ansiedade. Doenças tais como
• Estresse
• Depressão

As mais comuns são causadas pela insistência e desenvolvimento de um pensamento simples e muito comum...."e se"
Quando desenvolvemos esse tipo de preocupação, corremos para uma ansiedade doentia e pecaminosa.

• Pessoas inseguras são constantemente "forçadas pelas circunstâncias" e se precipitam.

• "Deus está no controle"
Gostamos de usar frase, como se realmente o que cressemos. Mas por vezes as nossas atitudes "gritam" o contrário. Nós é que gostamos do controle, e com isso pecamos (entre outras coisas por Falta de humildade)
"A fé verdadeira sempre precede o comportamento" (Max Lucado)


2 - Imunidade à Bíblia
1Sm.15.22,23,30


22 Porém Samuel disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros.
23 Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.

30 Então, disse Saul: Pequei; honra-me, porém, agora, diante dos anciãos do meu povo e diante de Israel; e volta comigo, para que adore o Senhor, teu Deus.

Pessoas imunes à Palavra do Senhor se preocupam mais com reputação e reconhecimento de homens do que com obediência (v.17 (9.21))
A ambiguidade é característica de homens que "não sofrem a sã doutrina" (v.24,25; 1Tm.4.3). São capazes de fazer confissão sem sinceridade.
• "Obedecer é melhor do que sacrificar" (v.22)
• Quando não obedecemos, nosso culto se torna vazio !
Ou pior, se torna um culto pagão (v.23)
"Quando não há culto na vida, não há vida no culto" Caio Fábio
 

3 - Espiritualidade Oscilante
1Sm. 28.6-8 (16.14ss; 10.6ss; 19.22-24)

6 Consultou Saul ao Senhor, porém o Senhor não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas.
7 Então, disse Saul aos seus servos: Apontai-me uma mulher que seja médium, para que me encontre com ela e a consulte. Disseram-lhe os seus servos: Há uma mulher em En-Dor que é médium.
8 Saul disfarçou-se, vestiu outras roupas e se foi, e com ele, dois homens, e, de noite, chegaram à mulher; e lhe disse: Peço-te que me adivinhes pela necromancia e me faças subir aquele que eu te disser.

Pessoas oscilantes em sua espiritualidade (fé) só procuram a Deus no momento de aflição e extrema necessidade. São, também, imediatistas, caçadores de satisfação instantânea, pragmáticos - recorrem a qualquer coisa que lhe traga "respostas rápidas". A fé em Deus para pessoas assim é condicional. Saul matara 85 sacerdotes (22.18)


4 - Humores Descontrolados
1Sm.18.10,11; 19.17
1Sm.20.13,14

No dia seguinte, um espírito maligno, da parte de Deus, se apossou de Saul, que teve uma crise de raiva em casa; e Davi, como nos outros dias, dedilhava a harpa; Saul, porém, trazia na mão uma lança,
11 que arrojou, dizendo: Encravarei a Davi na parede. Porém Davi se desviou dele por duas vezes.
1Sm.18.10,11

Então, disse Saul a Mical: Por que assim me enganaste e deixaste ir e escapar o meu inimigo? Respondeu-lhe Mical: Porque ele me disse: Deixa-me ir; se não, eu te mato.
1Sm.19.17

Pessoas dominadas por um mal humor descontrolado tendem a sentir injustiçadas, e acham inimigos onde não há. (19.17)
(Alienados e insanos)
O oposto também é terrível.
Saul via conspiração entre pessoas que o ajudavam, respeitavam, eram leais a ele. Foram bênção em seu reinado. (veja, por exemplo, a vitória de Davi sobre o gigante Golias)


 13 Mas, se meu pai quiser fazer-te mal, faça com Jônatas o Senhor o que a este aprouver, se não to fizer saber eu e não te deixar ir embora, para que sigas em paz. E seja o Senhor contigo, como tem sido com meu pai.
 14 Se eu, então, ainda viver, porventura, não usarás para comigo da bondade do Senhor, para que não morra?
 15 Nem tampouco cortarás jamais da minha casa a tua bondade; nem ainda quando o Senhor desarraigar da terra todos os inimigos de Davi.
1Samuel 20.13-15

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Jerusalém - Cidade Celeste


Jerusalém segundo o sentido histórico é a cidade terrena; no sentido alegórico é a Santa Igreja; no sentido espiritual, a pátria celeste; no sentido moral, a vida espiritual.

Nesse último sentido queremos meditar.

A Jerusalém Espiritual possui um muro que a circunda por completo. Esse muro a protege rigorosamente, de forma contínua e perfeita através de disciplina e de bons costumes. Em seu interior possui sete vias contrárias aos sete vícios presentes na outra cidade em nosso interior, Babilônia.

As duas cidades em nosso interior, "Jerusalém e Babilônia" estão em constante conflito (Gálatas 5.17ss).

- De um lado as virtudes (Jerusalém)

- Do outro os vícios (Babilônia)

Pensemos então, em cada uma das vias em nosso interior, na "Jerusalém Espiritual".

 1 - Humildade

Os dois lados dessa importante via (virtude) são:

         • Aquele mostrado somente diante de Deus. Aquela humildade fundamental, sem a qual, qualquer outra expressão é falsa e sem valor (1Pe.5.6; Is.57.15; Sl.138.6; 1Pe.5.5; Fp.2.5-8)

         • O outro lado da via decorre da primeira, e que portanto, é aquela humildade que tem valor, e não é falsa.

 2 - Caridade (amor)

A segunda também tem dois lados, que são:

           • Aquele destinado unicamente a Deus. Chamado de o maior mandamento. Ouve ('Shema' .:Hb.) - "Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força." Dt. 6.4,5

            • O segundo lado dessa via, semelhantemente, nos ordena a estender esse amor ao próximo, "como a nós mesmo" (Mt.22.37-40). O Senhor ensinou que seguir os dois lados dessa via nos coloca em consonância com toda a Lei e os Profetas. Isso nos mostra a grandeza do fruto dessa via. Como também nos ensinou o Apóstolo Paulo, "A plenitude da Lei é o Amor" Rm.13.10

 3 - Paz

No primeiro lado dessa via encontra-se a concórdia interior com o Criador. Portanto, esforçar-se interiormente para entender esse caminho é o que mais precisamos. Sl.34.14; Is.9.6; Is.26.3

E só consegue desfrutar a Paz com seu semelhante, quem antes de tudo tem Paz com o Altíssimo. Assim como só consegue perdoar, quem verdadeiramente reconhece o quanto é pecador e necessita de perdão do alto e sublime trono.

4 - Alegria

Alegria perene é aquela infundida pelo Espírito, que em seu primeiro lado, e como nas vias anteriores, é manifestada, apenas diante de Deus. É aquela exultação interior, que não é afetada pelas circunstâncias exteriores. Pelo contrário, é a Alegria perene e interior que transcende e se manifesta exteriormente. Sl.32.11; Fp.2.18; 3.1; 4.1,4

No entanto, devido a nossa pequenez e fraqueza, nos deixamos ser contristados por algumas circunstâncias externas. Nesse ponto, somos motivados por Deus para que essa tristeza não nos domine e transpareça em nosso semblante, principalmente em momentos de culto e celebração. Ne.8.9-12; Lc.15.25; Lc.5.34; 2Co.9.7

5 - Liberalidade

Em um lado dessa via está a aquisição de recursos de forma dedicada e justa. Pois a liberalidade depende do acúmulo de recursos. E é bom esclarecer que esse acúmulo visa, de antemão, o ter o quê repartir e ajudar pessoas necessitadas. Pois aquilo que é acumulado de forma desordenada em pouco tempo se transforma em idolatria. Isso se dá quando a confiança nas possessões temporais substitui a confiança no próprio Deus. Lc.12.16-21

Aquele que pratica a liberalidade jamais passará escassez e necessidade. Hb.13.5

6 - Abstinência (Jejum)

Duas virtudes são calçadas dessa via:

• Parcimônia (ato de poupar), que é contrária a glutonaria.

• Sobriedade, que é contrária a embriaguez.

Podemos somar à essa via a abstinência de pensamentos iníquos, e que portanto, a vigilância deve ser constante. Nessa via não podemos 'descansar' e se entregar a distrações. Ainda que, em princípio, pareçam ser 'puras'. Is.58

Nas Escrituras temos valiosos exemplos de quem praticava a Abstinência (Jejum): Moisés, Elias, Jesus, Daniel e seus amigos. Na história de Jonas, vemos uma grande lição de um povo ímpio, que praticou a Abstinência (Jejum) e alcançou a misericórdia divina. Jn.3

 7 - Continência (Pureza)

Assim como nas outras, há dois lados nessa via:

• Pureza do Coração (Pensamento)

• Pureza do Corpo (Ação)

Essa via, talvez não seja a mais importante em nossa "Jerusalém Interna", mas a via que faz oposição na "Babilônia Interna" certamente é a mais popular e chamativa - Libertinagem ou Lascívia. A escritora Dorothy Sayers (contemporânea de C.S.Lewis e J.R.R. Tolkien)  descreveu com precisão uma atitude comum: "Por uma ironia abominável, nossa reprovação faltosa daquele pecado (libertinagem) nos torna por demais púdicos, a ponto de sermos incapazes de ao menos nomeá-lo. Por isso temos usado de eufemismo, palavras mais brandas, para nos referir a ele. Palavras essas feitas para encobrir a completa extensão da corrupção humana. Um homem "pode ser" avarento e egoísta; vingativo, cruel, invejoso e injusto; violento e brutal; ganancioso, sem escrúpulos e mentiroso; teimoso e arrogante; estúpido, moroso e indiferente a qualquer instinto nobre - e mesmo assim, estamos dispostos a dizer que ele não é um homem imoral." ¹

 CONCLUSÃO

Somos constantemente instados a viver na nossa "Babilônia Interior", e desfrutar dos prazeres transitórios (ceder a tentação). Essa insistência nos é apresentada com nomes "suaves", e supostas necessidades imprescindíveis. Que o Senhor dirija a nossa vida e aprendamos com ELE a andar sempre buscando a FÉ verdadeira na "Jerusalém Celeste" em nosso interior. Pois, enquanto estivermos aqui, temos que conviver com um conflito intenso e constante no nosso interior, como nos ensinou o Apóstolo Paulo.

"Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos  entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.              Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei."

Gálatas 5.17,18

SOLI DEO GLÓRIA

Bibliografia

Guinness, Os. Sete Pecados Capitais. Sheed Publicações Ltda. 1ª edição, 2006 - São Paulo

São Vitor, Hugo de. Os Mais Belos Sermões. Editora Livre Ltda. 2019 - São Paulo.

(Esse estudo, deve ser entendido como o resumo de um sermão de Hugo de São Vitor)

domingo, 1 de agosto de 2021

Deus, A Importância de Um Conceito Correto

 Nenhum povo é maior que a religião que adotou. E religião nunca é maior que o seu conceito de Deus.

Portanto, o assunto mais importante para qualquer pessoa é o seu conceito de Deus.

Assim, o que revela a espiritualidade de um homem não é o que pode fazer ou dizer num dado momento, mas sim a imagem que ele tem de Deus na sua mente, no seu coração, no seu interior, que o leva a viver e agir de acordo.

Muitos vivem de um modo conflitante com o que dizem crer. E essa confusão é causadora de muitos problemas temporais, que o levam a preocupações adoecedoras e pecaminosas. 

Baseado em A.W.Tozer, in Mais Perto de Deus, Ed Mundo Cristão 2000


segunda-feira, 26 de julho de 2021

Senhor, Ensina-nos a Orar


A ti, ó Deus, confiança e louvor em Sião! E a ti se pagará o voto.
Ó tu que escutas a oração, a ti virão todos os homens,
por causa de suas iniquidades. Se prevalecem as nossas transgressões, tu no-las perdoas.
Bem-aventurado aquele a quem escolhes e aproximas de ti, para que assista nos teus átrios; ficaremos satisfeitos com a bondade de tua casa — o teu santo templo.
Com tremendos feitos nos respondes em tua justiça, ó Deus, Salvador nosso, esperança de todos os confins da terra e dos mares longínquos;
que por tua força consolidas os montes, cingido de poder;
que aplacas o rugir dos mares, o ruído das suas ondas e o tumulto das gentes.
Os que habitam nos confins da terra temem os teus sinais; os que vêm do Oriente e do Ocidente, tu os fazes exultar de júbilo.
Tu visitas a terra e a regas; tu a enriqueces copiosamente; os ribeiros de Deus são abundantes de água; preparas o cereal, porque para isso a dispões,
regando-lhe os sulcos, aplanando-lhe as leivas. Tu a amoleces com chuviscos e lhe abençoas a produção.
Coroas o ano da tua bondade; as tuas pegadas destilam fartura,
destilam sobre as pastagens do deserto, e de júbilo se revestem os outeiros.
Os campos cobrem-se de rebanhos, e os vales vestem-se de espigas; exultam de alegria e cantam. Salmo 65

De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos lhe pediu: Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos. Lucas 11.1   

   Introd.:  Se fossemos escrever uma lista de prioridades para nós, como filhos de Deus, certamente essa necessidade apareceria nos primeiros lugares, senão no primeiro. A Necessidade de Aprender a Orar. Esse  salmo trás ensinamentos importantes, sobre o assunto. E é sobre isso que faremos uma breve meditação.

 1 - Nossa Oração deve começar e terminar com louvor e adoração

"A ti ó Deus, confiança e louvor em Sião" (v.1)

"Os campos cobrem-se de rebanhos, e os vales vestem-se de espigas; exultam de alegria e cantam" (v.13)

Essa é a primeira lição de Jesus aos seus discípulos quando lhe pedem pra ensina-los a orar. "Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino;" Lucas 11.2

"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças." Filipenses 4.6

"Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome." Salmos 100.4

 Portanto, vós orareis assim : Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Mt.6.9

 Veja que foi esse o ensino de Nosso Senhor, na chamada "oração dominical" (entendendo o termo dominical em seu significado original - O ração do Senhor.

Então, aprendemos aqui, que toda oração precisa começar com louvor e adoração, em reconhecimento a quem estamos orando. Pois gratidão é uma virtude de cristão, salvo e remido pelo sangue do Cordeiro

2 - Deus Escuta Nossa Oração

 "Ó tu que escutas a oração, a ti virão todos os homens," Salmos 65.2

 Isso implica em dar atenção às nossas orações. Portanto, não devemos 'falar sem pensar' ou fazer orações como que no 'piloto automático' sem refletir profundamente no que estamos falando.

 "Deus escuta" e isso deve nos encher de alegria, pois nunca estamos falando no vazio. Mas também deve nos encher de responsabilidade. ELE sempre escuta e responde.

Deus sabe o que estamos passando; sabe das nossas limitações; sabe das nossas fraquezas; sabe do que precisamos, mas quer que expressemos tudo isso em oração!

É assim que ELE nos atrai e nos transforma.

3 - Deus quer Ouvir Nossa Confissão

Nossas orações precisam de 

• Arrependimento 

• Confissão

 Para recebermos e sentirmos o perdão

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. 1 João 1:9

 "se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra." 2 Crônicas 7.14

Veja que essas atitudes estão intimimamente relacionadas aos atos de Adorar e Pedir

Conclusão

Jesus orava? Sim, ele sempre conversava com Deus Pai e devemos imitar o que Ele fazia. Mt.14:23; Mc 1:35; Lc 6:12

Como falamos no início, e também como nos ensinou Nosso Senhor nos evangelhos, aprender a oração é muito importante para todos os discípulos. Para sermos cristãos frutíferos dependemos muito de uma vida de oração disciplinada. Portanto, precisamos nos esmerar nos passos certos, ensinados pela Palavra de Deus. 

• Adoração, Louvor, Gratidão.

• Arrependimento, Confissão, Perdão

• Petição, Perseverança

• Adoração, Louvor, Gratidão.

 São pontos muito importantes para uma vida de oração frutífera.

Repetimos o início e o final de propósito, pois como dissemos no começo desse esboço "toda oração precisa começar e terminar com louvor e adoração"

 Amém

Soli Deo Glória


sexta-feira, 21 de maio de 2021

O Ministério que Nos Fortalece

 

Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos;
pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade.
Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.
Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus.
Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.
Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.

2Co.4.1-7

Introdução

Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.

2 Coríntios 1:8

 Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.
2Co.1.8

Aprendemos aqui, que qualquer pessoa pode ser acometida pelo desânimo. Pois vivemos tempos difíceis. Cedemos com relativa facilidade aos conflitos da vida. É também um tempo de identidade cristã enfraquecida. Tempo em que as próprias relações dentro da igreja nos faz esmorecer, Aí perdemos o  ânimo, onde deveríamos esperar encorajamento, suporte.

 O antídoto que o Apóstolo Paulo nos apresenta é um Ministério Glorioso. Podemos ver isso nos contrapontos entre a Antiga Aliança e a Nova Aliança, propostos pelo Apóstolo no capítulo 3, como segue:

  • AA- Letra (Leis); NA- Espírito "Porque a letra mata, mas o espírito vivifica." 2Co.3.6
  • AA- Condenação; NA-  Justiça "Porque, se o ministério da condenação foi glória, em muito maior proporção será glorioso o ministério da justiça." 2Co.3.9
  • AA- Morte; NA- Vida "...porque a letra mata, mas o espírito vivifica." 2Co.3.6b
  • AA- A face de Moisés; NA- A face de Cristo "Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração dele. Quando, porém, algum deles se converte ao Senhor, o véu lhe é retirado." 2Co.3.15,16
  • AA- Símbolo, Véu; NA- Símbolo, Espelho "E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito." 2Co.3.18

Aprendemos, então, que Salvação é transformação no mais profundo do nosso ser. 

Podemos agora, tirar algumas lições do texto proposto inicialmente.

 1 - "Não desfalecemos" 

Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; 2Co.4.1

O texto e todo contexto nos diz que recebemos um ministério grandioso, pela graça e misericórdia do Senhor. Fomos habilitados para o exercício desse ministério (2Co3.6) É um ministério triunfante. Não é um ministério de incertezas. 2Co.2.14 "Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento."

2 - "Verdade Exposta"

pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade.
Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto,
nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. 2Co.4.2-4

 
Nesse ministério encontramos força para não viver na obscuridade ou dissimulação, mas na manifestação da verdade.

É também, o ministério do esforço de pregar "todo o desígnio de Deus". Portanto, devemos ficar atentos à todo ato deliberado de distorcer. E também cuidar para a mensagem não fique tão diluída em nossas atividades, se tornando quase imperceptível. Só há uma razão aceitável paras as pessoas não compreenderem a Mensagem em nossa vida e em nossa fala, como nos ensina o Apóstolo: "Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto,nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." 2Co.4.3,4

3 - Fortalecimento de nossa IDENTIDADE

 Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus.
Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.
Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. 2Co.4.5-7

 Vivemos tempos difíceis, de Identidade Cristã enfraquecida.

    a) Pela autopromoção

    b) Pela busca de status

Mas o ministério mostra o que somos, e é assim que somos fortalecidos. Quando entendemos que  somos SERVOS.

Vivemos, também, um tempo de rotulações. As pessoas olham para você, e já pensam que te conhecem. Vêm uma atitude, uma fala ou mesmo um defeito. E pensam que já podem determinar quem é você; Que você serve ou não serve para determinado trabalho. Mas o que determina o que somos, de fato e de verdade, é a graça de Deus em nós.

Conclusão

• Olhemos para grandeza do Ministério que nos foi confiado

• Busquemos em todo tempo a clareza da Palavra de Deus.

• Humildemente reconheçamos o que somos em Cristo.

• Meditemos em o que éramos e o que somos hoje.

"Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação,  segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um." Romanos 12.3

SOLI DEO GLÓRIA

Bíblia Almeida Revista e Atualizada